Escreve que passa: o significado das minhas tattoos (para mim)

Posts

Acho que eu sou uma das poucas pessoas no mundo que só conseguem aceitar fazer uma tatuagem se ela tem algum grande significado para a pessoa. Algumas fazem porque “é bonita”, “é foda”, “tem um desenho irado”, ou porque realça alguma parte do corpo, ou que deseja cobrir uma cicatriz. Eu até sempre quis fazer uma tatuagem nessa vibe uma vez: uma fênix que cruzava minhas costas, é clássico. Mas eu vi que no fundo ela não tinha significado nenhum para mim. Então, broxei e guardei o dinheiro para gastar com uma coisa melhorzinha para mim.

Atualmente eu tenho cinco tatuagens, mas é claro que esse número vai crescer com o tempo, conforme minhas experiências vão se acumulando e momentos marcantes também — porque é exatamente isso o que minhas tatuagens representam para mim: momentos marcantes, experiências, algo que eu gostaria de me lembrar para sempre, porque sabemos que a memória é a coisa mais complicada de se lidar. Um dia a gente perde as memórias, as lembranças, seja pela eventualidade do passar dos dias ou por doenças como Alzheimer ou acidentes que afetem parte do nosso cérebro; e tem coisas que eu não quero esquecer. E para isso, eu resolvi marcar na pele.

Leia mais »

Anúncios

Escreve que passa: meu futuro não-amoroso e meu suposto egoísmo

PSD escreve

Quando você for mais velha, você vai mudar de ideia.

É o que sempre me dizem quando falo que não quero (ou não pretendo) casar e tampouco ter filhos. Tenho falado isso pela minha vida inteira e ainda assim tem gente que insiste em dizer que tudo vai ser diferente quando eu “crescer”. Aos dezesseis, falei isso pra alguém que rapidamente me cortou: — Quantos anos você tem mesmo?

Dezesseis.

Aos vinte anos, você vai estar casada há três anos e com dois filhos.

Leia mais »