Resenha: Beleza Perdida, de Amy Harmon

Posts

Eu tinha me encantando com a capa desse livro na Saraiva, e levei um bom tempo até conseguir pegá-lo para ler. Um dia, consegui a versão digital dele para ter uma ideia de como era a história e ver se valia a pena. Deu que terminei de ler o livro em poucos dias, sem perceber. E valeu a pena.

Sinopse

Ambrose Young é lindo — alto e musculoso, com cabelos que chegam aos ombros e olhos penetrantes. O tipo de beleza que poderia figurar na capa de um romance, e Fern Taylor saberia, pois devora esse tipo de livro desde os treze anos. Mas, por ele ser tão bonito, Fern nunca imaginou que poderia ter Ambrose… até tudo na vida dele mudar.

Beleza perdida é a história de uma cidadezinha onde cinco jovens vão para a guerra e apenas um retorna. É uma história sobre perdas — perda coletiva, perda individual, perda da beleza, perda de vidas, perda de identidade, mas também ganhos incalculáveis. É um conto sobre o amor inabalável de uma garota por um guerreiro ferido.

Este é um livro profundo e emocionante sobre a amizade que supera a tristeza, sobre o heroísmo que desafia as definições comuns, além de uma releitura moderna de A Bela e a Fera, que nos faz descobrir que há tanto beleza quanto ferocidade em todos nós.

Fern sempre foi apaixonada pro Ambrose — era impossível não se apaixonar por ele, sendo tão lindo, incrível, forte e bom em tudo o que poderia fazer. Ambrose, para Fern, era aquele personagem invencível de livros de romance, em que nada poderia abalá-los, e eles eram realmente perfeitos para a suas mocinhas. E Fern queria muito ser a mocinha de Ambrose algum dia. Mas, ao contrário de Ambrose, Fern era feia. Tinha cabelos ruivos incontroláveis, usava aparelhos, era magricela, e andava com Bailey, o garoto da cadeira de rodas. A única coisa que ela tinha de bom a oferecer era a sua amizade com Rita, uma das garotas mais bonitas da escola e também sua melhor amiga. Tão melhor amiga que Fern se comprometeu a ajudar Rita a conquistar Ambrose por recados.

Mas diferente dos filmes, em que os rapazes encontram a beleza interior da mocinha, não foi o caso de Ambrose. Ele não gostava de Fern, não a achava atraente, e saber que Fern estava se passando por Rita apenas o deixou irritado e fez com que ele se afastasse de Fern. É onde Fern acredita que seu sonho de ficar com Ambrose, de ver que ele era realmente o seu protagonista incrível e invencível da sua história de amor imaginária, na verdade nunca iria acontecer.

Ao tempo em que Fern está tentando superar a rejeição de Ambrose, Ambrose está tentando encontrar seu lugar no mundo. Apesar de ser incrível, bonito, desejado por todas as garotas e bom em tudo o que fazia, Ambrose não sentia que se conhecia realmente e precisava encontrar-se no seu lugar. É um tempo depois do atentado de onze de setembro que Ambrose se alista ao exército junto com seus amigos. Mas apenas ele volta, e muito diferente do que era antes de partir.

Beleza Perdida é um livro que me tocou muito. Ele não apenas é uma releitura moderna de A Bela e a Fera, como também aborda temas importantes e tocantes como aprender a ser forte apesar das dificuldades; que beleza não é tudo, apesar de muitas pessoas considerarem algo essencial; e a importância da amizade, da luta e do amor na vida de alguém. A superação também é um ponto especialmente importante abordado na história, onde temos Bailey, o garoto que tem distrofia muscular e tem seus dias de vida contados. Mas, diferente de muitas pessoas que descobrem que têm uma doença terminal, Bailey aproveita cada dia da melhor maneira que pode e despeja lições que podemos carregar pelo resto de nossas vidas.

O mais interessante é que Beleza Perdida tem todas as características de um livro especialmente clichê, mas que também sempre nos mostra que de clichê ele não tem nada; que é único à sua maneira. Talvez seja pelas mensagens maravilhosas que o livro passa, ou talvez pelo modo como a autora sabe tocar no fundinho do nosso coração em alguns momentos. Mas Beleza Perdida é imensamente lindo, maravilhoso, além de ser clichê e ao mesmo tempo único.  Eu aprendi tanto com essa história, com tão pouco tempo, que foi impossível não me apegar e não colocar Harmon na listinha de escritoras propensas a se tornarem minhas favoritas. Agora só preciso conhecer suas outras obras e ver se ela vai conseguir me fazer chorar como uma criança e agradecer por cada minuto de leitura como ela fez com esse livro.

Obrigada, Amy!

Bio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s