Resenha: Série Vampire Academy, de Richelle Mead

Posts

Vampire Academy (ou Academia de Vampiros) é uma série que acompanho há muito tempo e posso dizer que foi uma pequena facada no coração quando terminei de ler o último livro. Há uma continuação, de certa forma, que é focada em outros dois personagens da série, mas ainda não peguei para ler (embora tenha ouvido muito bem a respeito), então a dor de terminar essa série foi um pouco menor do que quando terminei Harry Potter (que não tinha nenhum spin-off ou coisa parecida). Então, como Academia de Vampiros se trata de uma série com seis livros, eu vou falar dela como um todo.

Sinopse do primeiro livro: O Beijo das Sombras

Lissa Dragomir é uma adolescente especial, por várias razões: ela é a princesa de uma família real muito importante na sociedade de vampiros conhecidos como Moroi. Por causa desse status, Lissa atrai a amizade dos alunos Moroi mais populares na escola em que estuda, a São Vladimir. Sua melhor amiga, no entanto, não carrega consigo o mesmo prestígio: meio vampira, meio humana, Rose Hathaway é uma Dampira cuja missão é se tornar uma guardiã e proteger Lissa dos Strigoi, os poderosos vampiros que se corromperam e precisam do sangue Moroi para manter sua imortalidade.

Pressentindo que algo muito ruim vai acontecer com Lissa se continuarem na São Vladimir, Rose decide que elas devem fugir dali e viver escondidas entre os humanos. O risco de um ataque dos Strigoi é maior, mas elas passam dois anos assim, aparentemente a salvo, até finalmente serem capturadas e trazidas de volta pelos guardiões da escola.

Mas isso é só o começo. Em O Beijo das Sombras, Lissa e Rose retomam não apenas a rotina de estudos na São Vladimir como também o convívio com a fútil hierarquia estudantil, dividida entre aqueles que pertencem e os que não pertencem às famílias reais de vampiros. São obrigadas a relembrar as causas de sua fuga e a enfrentar suas temíveis consequências. E, quem sabe, poderão encontrar um par romântico aqui e outro ali. Mais importante, Rose descobre por que Lissa é assim tão especial: que poderes se escondem por trás de seu doce e inocente olhar?

Leia mais »

Anúncios

Catarse: a plataforma de crowdfunding que pode te ajudar a publicar seu livro

PSD posts dicas

Você conhece o site Catarse?

Catarse é um site que possibilita o financiamento de projetos criativos de modo simples e prático!

Como assim?

Digamos que você tenha algum projeto criativo — um jogo, um livro, um CD a ser gravado —, mas não tem o dinheiro necessário para cobrir as despesas, para que esse seu projeto se desenvolva. Sendo assim, você poderia utilizar o Catarse e pedir o apoio do público.

Mas não é assim tão fácil! Você precisará realizar um vídeo para a campanha, encontrar recompensas atrativas para oferecer aos apoiadores, encontrar uma forma de comunicar a campanha para o público. Após esta etapa, o Catarse faz uma seleção. Se o projeto for aprovado, ele é aberto para a captação e você compartilha sua ideia para o mundo.

Todos os projetos têm que ter um objetivo de arrecadação e um prazo — que varia de 1 a 60 dias. Se as pessoas gostarem do projeto, elas podem apoiá-lo financeiramente para que ele possa sair do papel e se desenvolver. Quando o prazo final é atingido, é onde surge duas opções que o site chama de tudo ou nada.

Por que tudo ou nada?

Simples. Se o projeto for bem sucedido, sendo o objetivo — ou seja, valor total — da arrecadação for atingido ou superado, o realizador — você — fica com o dinheiro arrecadado, ou seja, tudo. Caso contrário, se o objetivo da arrecadação não for atingido, o site devolve as contribuições para todos aqueles que apoiaram e o realizador do projeto não leva nada.

Diferente das leis de incentivo, banco e formas tradicionais de patrocínios, o Catarse é um canal que exige pouquíssima burocracia e baixo risco financeiro, e também, um meio de destacar suas ideias perante o público, abrindo portas para conexões inesperadas com Apoiadores e outros Realizadores. Não custa nada enviar um projeto, porém, se ele está no ar e a sua meta for atingida ou superada, o Catarse fica com 13% do valor arrecadado — cujo valor já inclui tanto a comissão do Catarse como a taxa do meio de pagamento.

Sou escritor. Com que finalidade posso usar o Catarse?

Atualmente, o meio mais simples e rentável de publicação de livros é o da autopublicação — também conhecido como publicação independente ou publicação direta. Há muitas plataformas gratuitas, mas para se publicar um livro, não é necessário apenas escrevê-lo e jogá-lo no ar. Você precisa adquirir os serviços editoriais, que são capa profissional, diagramação, revisão, ISBN, entre outros. A maioria desses serviços não são baratos, e mesmo com formas de pagamento facilitadas, há valores que podem acabar sendo altos demais para você, que é ou já foi escritor iniciante e amador.

Portanto, o Catarse é um meio simples, fácil e prático de financiar a sua obra a ser publicada de modo profissional, além de ser muito interessante e um meio extenso de compartilhamento de ideias e projetos inovadores.

E aí? Vai publicar? \o/

Boa escrita para você!

Bio Gabs

Como realizar um lançamento virtual do seu livro em ebook

Post 5

É de conhecimento geral que os eBooks estão virando os queridinhos de todos os autores, por uma série de vantagens que eles proporcionam, desde o pouco trabalho de editoração até o valor de venda que bate vários livros impressos e agrada aos leitores.

Entretanto, ao mesmo tempo em que há uma série de vantagens de se publicar um livro em eBook, há também as desvantagens. Você não poderá sentir o cheirinho do seu livro, carregar na bolsa e mostrar para todo mundo, folhear as páginas, e muito menos fazer uma noite de autógrafos com o lançamento do seu livro. E, para alguns, a maior graça de publicar um livro é essa: realizar uma noite de autógrafos, fazer o lançamento do seu livro. Mas como fazer isso, se o seu livro foi publicado apenas digitalmente?

Esses dias, acabei esbarrando em alguns eventos de lançamentos virtuais dos livros de certos autores, e todos eles traziam ideias muito bacanas, em que acho mais do que válido compartilhar e até pretendo realizar não apenas no meu próximo lançamento, mas em todos, indiscutivelmente, daqui para frente. As dicas trazem, além de ideias para realizar um evento de lançamento virtual, também para divulgar o seu livro no mesmo meio.

Leia mais »

Entrevista: Marcele Cambeses

PSD post autores-Recovered

Eu resolvi fazer um quadro novo no blog, que será postado todas as segundas. Trata-se de uma entrevista com autores nacionais com obras já publicadas. Eu viso, além de conhecer ainda mais o trabalho desses autores, divulgar o trabalho deles através do blog e apresentá-los a muito mais gente. A primeira entrevistada é a autora linda diva fofa maravilhosa Marcele Cambeses. Ela é autora do livro Sinfonia, da Saga Destino Trocado. O livro teve muitas resenhas positivas até agora e até eu já adquiri meu exemplar com ela e estou louca pra começar a ler!

Se você quiser conhecer mais a autora e o trabalho dela, continue lendo a entrevista. Há muitas informações bacanas sobre o livro dela e seu processo criativo!

Quem é Marcele Cambeses?

MC: Intimamente, estou tentando descobrir na terapia (?) – risos. Nas descrições de matérias e sites, eu sou uma escritora amadora, carioca, de 23 anos, que fez um baita mimimi por 5 anos para concluir a faculdade de Direito. E que ama tanto os gatos e os clássicos ingleses que está apenas a uma solteirice e a algumas décadas de ser a “velha dos gatos”, com convicção.

Leia mais »

Dicas contra o Bloqueio Criativo #1: Desafio das Cartas

Post 4

Eu sou uma dessas pessoas que dá um espirro e… Caramba, veja só! Um novo bloqueio criativo! E continua assim por alguns meses. O problema é que meus bloqueios são pesados. Grosseiros mesmo. Eles definitivamente não sabem brincar. O que faz com que eu apele para o Google, em busca de desafios que possam me ajudar a vencê-lo.

Um desafio que encontrei há um tempo e gostei bastante, foi o Desafio das Cartas. Eu havia encontrado no Tumblr, e de primeira, não coloquei muita fé (por mais que eu goste de escrever cartas, mesmo que nunca mostre para ninguém ou até mesmo as envie), até que comecei a seguir a risca, diferente de todas as dietas que já comecei. E funcionou. Perfeitamente.

Dizem que o maior problema do escritor é o branco do papel ou da tela. Que ele é intimidador, e quanto mais você olha para ele, mais você fica nervoso e não consegue escrever. É quase uma regra, e poucos conseguem escapar dela sem problemas. Infelizmente, eu não faço parte dos sortudos. O branco da tela sempre me intimidou. O que posso dizer é que você tem sempre que escrever para vencer esse nervosismo. Qualquer coisa, uma lista de compras, uma piada que você ouviu, palavras em idiomas estrangeiros para treinar. Desde que a tela não pareça tão clara, tão vazia, já está bom. O Desafio das Cartas me ajudou muito nisso, porque era jogado um tema e eu começava a escrever e de repente, já estava no meu projeto, escrevendo até doer os dedos.

Leia mais »

Como organizar suas histórias – Parte 3: Mais algumas dicas interessantes

Post 3

Na primeira e segunda parte, falei sobre o planejamento e o foco da sua história que você deve fazer e ter antes de começar a escrever. Se já começou a escrever, ótimo! Se não, e ainda prefere uma dica melhor que o planejamento, eu trouxe outra opção para você hoje. E para você que tem um problema com nome de personagens, trago no final do post, uma planilha que vai te ajudar bastante! Vamos lá?

Resumo do Capítulo

Se você não tiver paciência para fazer um planejamento e prefere ir escrevendo tudo o que vier na cabeça, então ao menos crie paciência para fazer um resumo do seu capítulo que acabou de escrever.

Mas por que, Pandora?

Simples, gafanhoto. Justamente por você não trabalhar com um planejamento da sua história, isso tende a dar um B.O bonito em alguma parte. Em determinado momento, você acabará ficando na dúvida se já adicionou algo a mais ou algo importante que precisava adicionar na sua história, ou tentar relembrar algum ponto importante, mas que não ficou tão destacado como alguns acontecimentos sérios da história e acaba que você vai precisar reler tudo o que escreveu até aquele momento. E haja paciência! Ler algo que a gente escreveu enquanto estamos com a larica criativa apenas para achar um mínimo detalhe é chato, principalmente quando queremos escrever e temos que parar tudo, cortar o fio da inspiração, para procurar aquele detalhe que você deveria ter anotado.

Leia mais »